Diagrama de Ishikawa: o que é, como e porque utilizar

Diagrama de Ishikawa, conhecido popularmente por espinha de peixe, se propõe a representar graficamente os processos de um projeto para facilitar o gerenciamento e o controle de Qualidade.

Na estrutura do diagrama as causas possíveis de um problema recebem seis tipos diferentes de classificação, conhecidas como 6Ms. São eles: Método, Matéria-prima, Mão-de-obra, Máquinas, Medidas e Meio ambiente.

Figura representativa do diagrama de Ishikawa

Através dos 6Ms, é possível ter um panorama sobre os diferentes causadores de problemas em um processo. Assim, é possível agir de forma isolada ou coletiva. Por este motivo, esta ferramenta também é conhecida por diagrama 6M.

O que é o diagrama de Ishikawa

O diagrama de Ishikawa é assim denominado em homenagem ao Professor Kaoru Ishikawa. Em 1943, ele elaborou este diagrama para explicar, a engenheiros de uma indústria japonesa, como os vários fatores de um processo estavam inter-relacionados.

Por sua característica, é também denominado diagrama de causa e efeito. Já que ele representa as relações existentes entre um problema e todas as possíveis causas desse problema. Dessa forma, atua como um guia para a identificação das causas fundamentais do problema, bem como para a determinação das medidas corretivas a serem adotadas.

O diagrama de causa e efeito é estruturado de forma a ilustrar as várias causas que levam a um problema. Assim, sua estrutura lembra o esqueleto de um peixe e, por este motivo, é conhecido como diagrama de espinha de peixe.

Nesta estrutura de diagrama, as causas possíveis de um problema recebem seis tipos diferentes de classificação conhecidas como 6Ms. Com o intuito de auxiliam na identificação de onde os problemas de um processo, estes componentes são detalhados na sequência:

  • Método: quando o efeito indesejado é consequência da metodologia de trabalho que foi adotada.
  • Material: quando algum material não está em conformidade com as exigências para a realização do trabalho.
  • Mão de obra: quando o problema está relacionado a realização de um procedimento inadequado por um colaborador, devido à pressa, imprudência, etc.
  • Máquina: quando o defeito ou não conformidade está relacionado a máquina usada no processo.
  • Medida: quando o efeito é causado por uma medida (medição ou métrica) tomada anteriormente.
  • Meio ambiente: problemas relacionados ao meio externo, como: poluição, calor, poeira, etc., bem como ao ambiente interno: falta de espaço, dimensionamento inadequado dos equipamentos, etc.

Como fazer um diagrama de Ishikawa

Para elaborar um diagrama de Ishikawa, alguns passos devem ser dados:

1. Apontar o problema a ser analisado, juntando mais informações possíveis

Conjuntamente, com definir o problema a ser solucionado, deve ser analisadas quem são as pessoas envolvidas com o processo, uma vez que, estas deverão participar da elaboração da solução. Uma vez definida a equipe, ela deve se concentrar na identificação de todas as possíveis causas do problema.

2. Juntar a equipe que irá montar o diagrama 

A participação do maior número possível de pessoas envolvidas com o processo é fundamental. Dado que, quanto mais completo o diagrama puder ser construído, maior a chance de não haver omissões de causas relevantes.

3. Informar os dados pertinentes ao problema específico no intuito de iniciar uma sessão de brainstorming

Para a condução do trabalho em equipe, é aconselhável que sejam realizadas sessões de brainstorming. Já que seu objetivo é auxiliar um grupo de pessoas a produzir o máximo possível de ideias em um curto período de tempo.

4. Colocar informações relevantes de forma ordenada e resumida

Uma vez definido o problema a ser considerado, a equipe deve se concentrar na identificação de todas as possíveis causas. Nessa fase, a equipe deve repetidamente formular e responder à pergunta: Que tipo de variabilidade (causas) poderia afetar a resultar no problema considerado? As causas assim identificadas pela equipe podem ser listadas para posteriormente serem classificadas nas categorias (6Ms).

Em seguida, para cada causa identificada, deve-se proceder à seguinte pergunta: Por que isso acontece? A resposta a essa pergunta levará a possíveis causas que se ramificam a partir da causa anterior. O objetivo desse procedimento é tentar identificar as causas fundamentais para a ocorrência de problemas.

Também devem ser estabelecidos os graus de importância de cada causa relacionada no diagrama com base em dados. Como o grau de importância de cada causa relacionada no diagrama deve ser estabelecido com base em dados, tanto as causas quanto o efeito devem ser mensuráveis. Quando isso não for possível, é importante tentar encontrar variáveis alternativas substitutivas que sejam mensuráveis.

5. Desenhar o diagrama tendo como base os componentes referentes aos 6Ms

A partir de então, é preciso que os envolvidos comecem a avaliar quais as causas do problema, levando em consideração os 6 M’s. Para tanto, se usa o desenho de uma espinha de peixe, onde o problema deve ser escrito dentro da cabeça do peixe e suas causas ao longo da espinha.

É preciso identificar e separar as possíveis causas como principais, secundárias, terciárias, etc. A equipe que participa do método Diagrama de Ishikawa deve ser estimulada a pensar: “O quê?”, “Por quê?”, “E o que mais?”.

Depois de serem analisadas as causas do efeito indesejado, é necessário buscar soluções, uma por uma, destinando sempre uma pessoa que fique responsável pela solução do problema identificado. Quando o problema for resolvido, a equipe de reúne novamente e cada pessoa deve explicar que atitudes foram tomadas para a resolução do efeito.

Exemplo de aplicação prática

Para facilitar a visualização da aplicação do diagrama, vamos usar o exemplo de aumento nos custos, uma vez que este é um exemplo facilmente validado por todos.

Problema: Aumento de custos

Esta informação deve ser colocado na caixa à direita, na cabeça do peixe, conforme imagem abaixo.

Exemplo de diagrama de Ishikawa relativo ao problema aumento de custos

Agora abordaremos as causas de acordo com cada um dos 6 aspectos (6Ms):

  • Materiais:
    • fornecedores caros
    • matéria prima com defeitos
  • Métodos:
    • uso excessivo de equipamentos e máquinas
    • falta de processo para a contratação de fornecedores
  • Mão de Obra:
    • salários altos
    • excesso de funcionários
  • Máquinas e equipamentos:
    • necessidade excessiva de manutenção
    • equipamentos obsoletos
  • Meio ambiente:
    • fábrica distante do centro da cidade
    • layout inadequado do chão de fábrica
  • Medidas:
    • ausência de indicadores de custos
    • falta de controle de qualidade de produtos

Porque devemos utilizar essa ferramenta

A utilização do diagrama de Ishikawa permite uma maior eficiência na detecção de problemas da empresa, uma vez que, suas causas possíveis são classificadas e pensadas de acordo com seis tipos de classificações (6Ms).

Através delas, é possível ter um panorama sobre os diferentes causadores de uma desarmonia em um processo e, então, poder agir de forma isolada ou coletiva. Partindo-se sempre do ponto onde houve a identificação do problema. Desta forma, há uma melhor condição geral de agir sobre eles.

Por este motivo, esta é considerada uma das mais importantes ferramentas de gestão existentes. Ela é eficaz para poupar custos e tempo, bem como traçar um mapa preciso sobre efeitos de cada problema, sobre a qualidade dos produtos e as ações tomadas.

×