Brainstorming: o que é, como e porque devemos fazer

O brainstorming ou tempestade de ideias é uma técnica que busca a geração de ideias por parte de um grupo de pessoas. Ela ocorre quando o grupo se reúne com a finalidade de expor seus pensamentos e torno de um determinado assunto.

O objetivo é estimular o desenvolvimento de ideias voltadas a resolução de um problema. Além disso, permite um impacto positivo na motivação de pessoal. Porém, para que funcione bem, deve apresentar um caráter totalmente livre, ou seja, sem críticas ou julgamentos.

Origem

O seu conceito de foi originalmente proposto pelo publicitário americano Alex Faickney Osborn, em 1939. Ele arquitetou a técnica ao perceber que seus funcionários estavam com muita dificuldade em criar campanhas de propaganda criativas para seus clientes.

Assim, ele começou a usar sessões em grupo para coletar listas de idéias sugeridas espontaneamente pelos participantes. A evolução dessa prática deu origem ao que hoje conhecemos como brainstorming.

O brainstorming teve seu sucesso comprovado tanto na geração de boas ideias quanto na motivação de pessoal. Este segundo aspecto decorre do fato do colaborador se sentir como parte da empresa ao participar de um processo tão importante. Assim, acredita que pode fazer a diferença na empresa e ser reconhecido pelos gestores.

O que é Brainstorming

O brainstorming ou “tempestade de ideias” é uma técnica que pode ser utilizada como suporte a muitas ferramentas de gestão. Ela busca a geração de ideias por parte de um grupo de pessoas reunidas para tal finalidade.

Essa técnica pretende potencializar a criatividade de todas as pessoas que participam para que expressem, de modo bastante espontâneo, todas as ideias que surgem em suas mentes. Para que o brainstorming funcione bem é necessário a fluência de ideias sem crítica nem julgamento.

As ideias aparecem a partir do estímulo de ideias próprias, da combinação de ideias e da evolução da ideia dos demais participantes. Para tanto, a racionalização e o julgamento devem ser eliminados. O humor é bem-vindo e ideias “malucas” estão autorizadas, pois são elas muitas vezes que atraem outras ideias excelentes.

Além disso, todos os participantes devem ficar focados na atividade, na qual cada um fala na sua vez e deve-se evitar conversas paralelas durante as sessões.

Um facilitador externo atuando como condutor do processo pode ser muito bem vindo. A ideia é que ele possa ajudar o grupo a focar nas atividades criativas, fazer com que a produção de ideias não decaia. Além disso, pode estimular o desbloqueio de pessoas tímidas e desencorajar os críticos.

Ademais, é importante que a sessão de brainstorming tenha um tempo de duração definido e as ideias devem ser anotadas pelo facilitador. Posteriormente, dentre todas as ideias que foram recolhidas, analisam‐se e selecionam‐se as mais interessantes ou viáveis.

Através da utilização do brainstorming, pretende‐se gerar ideias sobre as causas possíveis de um problema, além da elaboração das soluções possíveis do problema.

Se você ainda tem dúvida sobre quais são os problemas do seu negócio ou precisa de maiores detalhamentos deles, utilize as ferramentas fluxograma ou matriz swot para auxilia-lo.

Como aplicar a técnica de brainstorming

A ideia consiste em trabalhar com um grupo pouco numeroso, o ideal seria de seis a oito pessoas, mas ele pode até ser realizado entre apenas duas pessoas.

Caso seja realizado em grupo, é recomendável que haja um facilitador que verifique se o problema está bem entendido antes de começar, estimule o grupo e evite qualquer avaliação sobre as ideias que se vão produzindo. Além disso, o facilitador é o responsável por coordenar a ajudar a racionalização das ideias obtidas.

É recomendado que a duração da sessão seja de 15 minutos a 1 hora, podendo ter intervalo nesse período.

Principais Etapas

Existem algumas etapas consideradas importantes para a realização do brainstorming. A seguir, elas são detalhadas:

Planejamento prévio:

É conveniente definir o tema a ser tratado previamente a reunião do grupo. Cabe ao facilitador comunicar aos participantes os objetivos, bem como a forma como irá funcionar a dinâmica antes do desenvolvimento da sessão.

Realização:

A etapa de realização do brainstorming divide‐se em quatro etapas:

  • Preparação:

Durante alguns minutos pode ser realizado algum tipo de exercício de aquecimento que ative o pensamento criativo sobre algum tema neutro.

  • Explicação do problema:

Nessa etapa, facilitador externo faz a contextualização, explica os objetivos da sessão. O líder deve apresentar 2 ou 3 ideias para que comece o processo de sinergia

  • Produção de ideias individual:

Consiste em uma etapa individual, onde, durante 15 minutos, cada participante anota suas ideias da forma mais resumida possível.

O líder deve estar sempre atento aos objetivos da reunião, deve evitar que críticas sejam lançadas às novas ideias. Além de promover uma atmosfera harmoniosa visando garantir a apresentação de ideias livremente.

  • Produção de ideias em grupo

Consiste em uma etapa em grupo, geralmente realizada por turnos, onde cada participante comunica suas ideias. Assim, cada participante agrega à sua própria lista toda ideia que lhe ocorra ao escutar os demais participantes explanando.

Enquanto isso, o facilitador anota de maneira sequencial e visível, para todos, cada ideia que se vai expressando. Não se deve permitir nenhum comentário sobre as ideias expressadas.

Racionalização das ideias:

Nesta etapa, as ideias que não foram explicitadas de maneira clara são melhor explicadas pelos participantes.

Seleção das ideias:

A seguir, eliminam‐se as ideias duplicadas e, finalmente, procede‐se à crítica e à seleção das melhores ideias. Posteriormente, são analisadas e selecionadas as mais interessantes ou viáveis.

O que é imprescindível para o brainstorming

  • Nunca criticar qualquer ideia apresentada, uma vez que, se busca a participação de todos com a “primeira coisa que vier a cabeça”
  • Incentivar a participação de todos
  • Estimular a apresentação do maior numero possível de ideias
  • Escrever e relacionar todas as ideias
  • Evitar discussões ou debates em paralelo
  • Considerar toda ideia original, mesmo se absurda, uma vez que pode ser aperfeiçoada
  • Evitar que as ideias tenham “donos” para utilizar-se do efeito da sinergia entre as pessoas e encorajá-las a melhorar as próprias ideias, bem como as ideias dos colegas

Elementos que devem ser estimulados  

O brainstorming apresenta alguns elementos que podem e devem ser estimulados para o sucesso de uma sessão. São eles:

Quantidade de ideias

Quanto mais ideias, desde que direcionadas especificamente ao problema, melhor.

Flexibilidade das ideias

O conceito de brainstorming está atrelado a busca por novas abordagens na solução de um problema. Portanto, qualquer a fuga do tradicional será bem-vinda.

Liberdade

Como já falado anteriormente, para que a prática do brainstoring seja bem sucedida, as ideias não devem ser alvo de críticas.

Interatividade

As ideias apresentadas podem ser aperfeiçoadas ou mesmo combinadas entre elas, dando origem a novas soluções. Portanto, deve evitar que as ideias tenham “donos”. Visando a utilização do efeito da sinergia entre as pessoas, encorajando-as a lapidar as próprias ideias, bem como as ideias dos colegas

Tangibilidade

As ideias sugeridas precisam ser viáveis para que possam se transformar em ações concretas.

Brainstorming na prática

A simplicidade da técnica é evidente. Porém, nada impede que você pode crie uma versão própria para ser aplicada em seu negócio.

As reuniões podem começar sem um roteiro, apenas com o tema a ser discutido. É comum que após certo tempo de uso da técnica, haja uma evolução positiva do grupo. Os participantes vão descobrindo formas de melhorar sua eficiência e, com isso, as ideias acabam crescendo em qualidade. As sugestões vão sendo cada vez mais analisadas, eliminadas, associadas, fundidas, agregadas, enfim, refinadas.

Portanto, é comum a natureza evolutiva da técnica, a busca contínua da melhoria, o progresso individual e o do grupo. A multiplicidade de aspectos fica bem evidenciada na liberdade que se confere e até se incentiva para as pessoas apresentarem suas ideias.

Para transformar as ideias em planos de ação, recomenda-se recorrer a ferramentas como 5W2H ou ao diagrama de Ishikawa.

Derivação do Brainstorming: Brainwriting

O brainstorming também pode se converter em brainwriting. Esta técnica se dá de forma escrita ao invés de falada. Também conhecido por método 6-3-5, uma vez que o grupo é formado por 6 pessoas, que devem escrever 3 ideias em 5 minutos.

Nesse caso, cada participante deve escrever as suas ideias, as quais serão posteriormente agrupadas e classificadas com mais facilidade. As folhas escritas com ideia de um participante pode, inclusive, circular entre outros participantes da dinâmica.

A vantagem do brainwriting é que pessoas mais tímidas e menos comunicativas não se bloqueiam nem se intimidam com os participantes falantes que acabam roubando a cena.

Variar e combinar a técnica de brainstorming faz parte do exercício mental que promove que cada um saia do seu modelo mental estabelecido e estimule sua criatividade.

Esses cartões são passados par aos outros membros que lerão o que está escrito no cartão, escrevem mais 3 ideias e passam para o próximo

A ideia é cada cartão voltar para a pessoa original, dessa forma este método também é conhecido como carrossel

Porque devemos utilizar Brainstorming

O brainstorming tem dois principais ganhos: a geração de boas ideias na solução de problemas e o impacto positivo na motivação de pessoal.

O primeiro ganho, a geração de ideias, é o motivo pela qual geralmente se recorre a essa técnica. Num primeiro momento, o brainstorming incentiva o aparecimento de todas as ideias possíveis, independentemente de seu conteúdo, alcance, validade ou viabilidade prática. Há, desse modo, um volume inicial elevado de ideias que quando bem trabalhados podem ser excelentes para determinar soluções para os problemas.

Já o segundo aspecto, do impacto positivo na motivação de pessoal, decorre do fato de ao participar de um processo tão importante, o colaborador se sente como parte da empresa. Alguém que é ouvido e que, assim, pode fazer a diferença e ser reconhecido pelo seu gestor e demais colegas de trabalho.

Além desses dois fatore positivos, o brainstorming é uma ferramenta administrativa e de inovação na empresa. Logo, permite alcançar soluções a um baixo custo e com retorno em curto prazo.

×